terça-feira, 12 de março de 2013


Cavalo Campolina será destaque em
Esmeraldas, Minas Gerais

Criadores em várias partes do Brasil já confirmaram presença na II Exposição do Cavalo Campolina de Esmeradas, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG). O evento ocorre entre os dias 20 e 24 de março e reunirá cerca de 120 animais na pista de julgamento. A programação conta com atrações variadas para a comunidade, como exposições de artesanatos, pássaros ornamentais, orquídeas e uma apresentação do canil da Polícia Militar de Minas Gerais.

"Neste ano, mais que nunca, queremos resgatar pequenos criadores e usuários. Para tanto, em chamariz será a realização de um shopping de animais de seleção e também de lazer. Para comprovar que, além de belo, o Campolina é funcional e cômodo, faremos um enduro equestre, com provas dentro e fora do parque de exposições", afirma Edésio Drumond Abreu, sócio do Núcleo dos Criadores do Cavalo Campolina Grande BH, responsável pela organização.

A disputa na pista será ranqueada pela Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Campolina (ABCCCampolina), o que deve tornar o julgamento muito disputado. A região deve participar em peso pelo papel de destaque que representa na criação. Segundo estimativa da entidade, existem 100 associados e um plantel de aproximadamente 2.000 animais num raio de 50 km. "Só no município de Esmeraldas são 15 criadores e 400 animais, entre potros, éguas, garanhões e castrados de renome nacional. Muitos deles campeões e campeãs em várias mostras”, estima o dirigente.

O Campolina foi introduzindo em Esmeraldas na década de 70, pelos criadores Elvécio Costa e Heitor Lambertucci, dois visionários que abriram mercado na região, ressaltando a beleza e o andamento marchado desse incrível cavalo de sela. Hoje, toda a comunidade reconhece o Campolina como a raça marchadora principal, tanto é que, durante a exposição, um concurso de redação será realizado nas escolas municipais. O tema é "Por que quero ter um cavalo Campolina" e o primeiro colocado será premiado com um tablet. A mostra surgiu de um sonho antigo, que saiu do papel no ano passado, quando conseguimos reunir 90 animais em exposição. O público compareceu em peso e neste ano esperamos um volume maior de visitantes.

"É realmente uma raça na região, tanto que defendemos esforçamos a permanência dessa exposição no calendário oficial da raça. Contamos com grande ajuda da comunidade, através da prefeitura, dos sindicatos e de toda a população, que abraçou o Campolina", conta Renato Tolentino, pres. do núcleo de criadores.

Exposição marca novidades no julgamento
Os julgamentos da raça começam na quinta-feira, dia 20, e vão até do domingo, com a disputa do Grande Campeonato. A comissão de jurados ainda não foi definida, mas novidades serão conferidas pelos criadores participantes. A partir deste mês, a raça passa a ser julgada por seis árbitros, três responsáveis pela morfologia e o restante pelo andamento marchado. Tal iniciativa permitirá uma evolução mais apurada das características desejáveis no Campolina e permitirá ao criador entender quais critérios foram avaliados na pontuação dos animais. Isso porque o voto será individual e será mostrado em telões instalados nas intermediações da pista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário